A Porta Urbana Sul de Oliveira do Bairro. O papel da Arquitetura como elemento marcante na transição urbano-rural

Autoria:Fabiana Babau

Orientação:João Paulo Cardielos

Universidade de Coimbra - Faculdade de Ciências e Tecnologia | Mestrado integrado em Arquitectura

Finalista

Memória descritiva

No tempo longo da história, as Portas Urbanas estiveram sempre ligadas a estruturas edificadas, com funções militares e ou simbolismo religioso, inseridas nos limites das cidades. Porém, a industrialização e a expansão a ela associada, esbateram limites, e as Portas passaram a estar ligadas às redes de mobilidade e à aproximação em velocidade. Estes elementos da renovada imagética urbana geram espaços capazes de ancorar as memórias, e assumem inúmeros significados, para os indivíduos em passagem e para as comunidades residentes.

Pôde testemunhar-se em Portugal uma infraestruturação repentina, apoiada na ampliação da rede rodoviária, que resultou em urbanidades difusas. Oliveira do Bairro não constitui exceção a esta regra. Com isso em mente, o exercício propôs-se requalificar o lugar urbano marcando as suas portas, e destacando o momento em que a via de acesso se aproxima do eixo central. O projeto urbano foca-se no desenho da Porta Sul e é marcado, simbolicamente, no ponto exato de chegada, onde o sis­tema de mobilidade regional se liga ao sistema de vias urbanas — e também ao futuro nó de ligação à A1 —, criando espaços convidativos onde paragem e espera passam a ser valorizadas.

O objetivo é qualificar esta zona indistinta e periférica convertendo-a num espaço de transição, marcando a desaceleração. Incentivam-se, a partir daqui, os modos de mobilidade sua­ves. Ambiciona-se suavizar a barreira imposta pelo atravessamento da EN 235, instalando uma nova identidade. Desenharam-se espaços geradores de dinâ­micas económicas, de convívio e de lazer, junto ao agrupamento escolar e ao pólo desportivo da cidade.

A intervenção integrou um exercício mais amplo, de equipa, estrategicamente pensado, desde a escala do concelho ao desenho do edificado. Por fim, o edifício destacado no projeto individual cumpre o objetivo traçado e promove mudanças de paradigma, alinhadas com um desenvolvimento urbano mais sustentável.