ECO RESTORATION AND ECONOMIC REVITALIZATION OF INDUSTRIAL AREAS. The case study of Lusalite and Gist-Brocades complex in Cruz Quebrada

Autoria:Matteo De Angelis

Orientação:Pedro Arsénio

Universidade de Lisboa Instituto Superior de Agronomia - Mestrado em Arquitectura Paisagista

Finalista

Memória descritiva

Os complexos fabris Lusalite e Gist-Brocades (Cruz Quebrada) foram deixados ao abandono no fim dos anos ’90, quando as atividades produtivas que neles se desenvolviam foram deslocadas para áreas mais afastadas dos centros urbanos. O projeto de revitalização da zona na qual se encontram as suas instalações faz parte de uma discussão mais ampla sobre o futuro das antigas áreas de produção. De que forma estas podem voltar a ser produtivas? Que tipo de desenvolvimento podem promover? Como se podem colocar em relação aos tecidos urbanos com os quais se relacionam?

Cruz Quebrada é uma zona cujo crescimento foi sempre ligado ao crescimento da cidade de Lisboa e às suas necessidades. Localizada na foz do vale do Rio Jamor, já foi zona de praia procurada pela aristocracia lisboeta (séculos XVIII-XIX). Deixou de sê-lo quando a poluição gerada pelos esgotos das fábricas que aí surgiram nos anos 30 do século passado mudaram as condições e a qualidade da água. Estas fábricas, Lusalite  e Gist-Brocades, que produziam respetivamente telhados em fibrocimento e levedura, por 70 anos foram  motor económico e urbanístico da Cruz Quebrada. Fazem parte de um património industrial não reconhecido oficialmente, ao qual se junta o ‘Ramal do Estádio Nacional’ que também se encontra ao interno da área abrangida pelo projeto.

O projeto pretende retomar este contexto histórico como ponto de partida, sendo as consequências negativas da atividade industrial no solo e nas águas consideradas como oportunidades para um novo inicio.

A revitalização da área passará, consequentemente, pela restauração ecológica do sistema fluvial da foz do rio Jamor, e pela costrução duma piscina natural e de uma serie de espaços públicos, sendo estes elementos motores de diferentes atividades, capazes de gerar novos fluxos económicos ligados à produção de bens intangíveis ou inquantificáveis, quais o lazer, a cultura ou a natureza.