O Restauro do Pavilhão Cirúrgico do Caramulo. Projeto âncora para a reabilitação da Estância Sanatorial do Caramulo

Autoria:João Pedro Sarzedas Moura

Orientação:João Paulo Mendes de Seiça da Providência Santarém

Universidade de Coimbra - Faculdade de Ciências e Tecnologia | Mestrado integrado em Arquitectura

Finalista

Memória descritiva

A arquitetura apenas terá um papel regenerador da cidade na medida em que considerar a memória coletiva e o respeito pela identidade do lugar.

Alocada a uma conjuntura de estagnação económico-demográfica, a estância do Caramulo representa uma realidade crescente transversal às áreas urbanas degradadas ou em ruína. A reabilitação e conservação do seu património arquitetónico assume-se imperativo numa perspectiva de sustentabilidade ambiental e reutilização, consolidando o edificado como possibilidade de regeneração de um lugar.

A luta contra a tuberculose em Portugal mobilizou a tríade medicina, política e arquitetura como instrumento de concepção de novos equipamentos e programas, refletindo uma relação de comprometimento de poder intrínseca ao Esta- do Novo. Decorrente de uma troca internacional de ideias, a relação que surge da permuta de impressões entre estes três campos, guiou o surgimento do Movimento Sanatorial da terapêutica anti-tuberculose no séc. XIX. A presente dissertação estuda a antiga Estância Sanatorial do Caramulo, condição para a elaboração de uma estratégia de reabilitação deste conjunto. Ao longo de quatro capítulos pretendemos compreender as razões do edificado e registar os aconteci- mentos político-sociais que contribuíram para as constantes metamorfoses do edifício e lugar. O Pavilhão Cirúrgico surge assim como um objeto museológico a restaurar, consolidando uma estratégia de reabilitação centrada em elementos âncora de alto valor patrimonial.