(RE)CONSTRUIR OS TECIDOS DE ALEPO. Equipamento para o Ensino das Artes e Ofícios Têxteis no Lugar de Bab Antakia

Autoria:Marta Catarino

Orientação:José Afonso

Universidade de Lisboa - Faculdade de Arquitectura | Mestrado integrado em Arquitectura

Finalista

Memória descritiva

Alepo, capital económica da Síria, é hoje uma cidade destruída pela guerra. Os vazios urbanos criados pelos bombardeamentos do conflito armado agravaram a descontinuidade de um território marcado, desde meados do século XIX, por modelos urbanos e arquitetónicos ocidentais que não procuraram compatibilizar-se com a cidade existente, criando ruturas espaciais que permanecem ainda hoje.

A curiosidade inata e a vontade ávida de aprender, aliadas à crença de que a profissão de arquiteto acarreta uma responsabilidade social e que a arquitetura é um direito humano, determinaram esta problemática o tema do projeto. Às motivações do foro pessoal somou-se o interesse disciplinar e a pertinência académica.

Embora não se saiba quando se extinguirá totalmente o conflito na Síria, o exercício de pensar o seu futuro deverá ser iniciado antecipadamente. Só desta forma, as investigações, reflexões e ensaios decorridos a priori, segundo diferentes visões, poderão tornar-se uma plataforma de debate entre académicos e profissionais e, assim, beneficiar o processo de reconstrução que um dia irá certamente acontecer e que deverá ser fruto de decisões prudentes. Caso se prescinda desta etapa, a reconstrução pós-guerra poderá, ela mesma, representar um perigo: o de, ao (re)construir imponderadamente, estar a destruir ainda mais um lugar, uma cultura e uma identidade, já bastante fustigados e fragilizados.

Este trabalho procurou constituir-se uma narrativa reflexiva – fundamentada na leitura da cidade na sua situação atual e na análise crítica do passado do local – que culminou numa proposta de projeto que abrange desde a escala da cidade à escala do pormenor e dos materiais.

Em (Re)construir os Tecidos de Alepo repensa-se o confronto entre o núcleo urbano milenar e o assentamento de génese ocidental que se expandiu ao seu redor, conferindo particular relevância ao Lugar de Bab Antakia – local para onde se projetou, com base nas necessidades identificadas na cidade, um Equipamento para o Ensino das Artes e Ofícios Têxteis, que procura atuar como intermediador da dualidade urbana e contribuir para a manutenção da identidade e tradições locais.